REMINISCÊNCIAS

REMINISCÊNCIAS

AUTORIA, PESQUISA, REVISÃO, ORGANIZAÇÃO: JOSÉ CARLOS DUTRA DO CARMO.

Este arquivo é uma cortesia de JOSÉ CARLOS DUTRA DO CARMO, que sempre tem por filosofia de vida ajudar o próximo da melhor maneira possível.

SITE: www.sitenotadez.net, já acessado por mais de 17 milhões de pessoas.

E-MAILs: sitenota1000@gmail.com - sitenotadez@sitenotadez.net


O livro MINHA HISTÓRIA NA JUSTIÇA DO TRABALHO contém revelações surpreendentes, corajosas e imperdíveis sobre os bastidores da Justiça do Trabalho.

É uma obra que critica de forma construtiva, pois sugere soluções para os problemas apontados.

Por ser coerente e justa, também elogia, com igual isenção e intensidade, as pessoas e as entidades dignas de tal homenagem.

MINHA HISTÓRIA NA JUSTIÇA DO TRABALHO tem o aval, graças a Deus, de pessoas muito importantes de todo o Brasil e até de Portugal.

Portanto, mesmo antes de ser lançada, já era considerada um grande sucesso pela crítica especializada.


47º CAPÍTULO.
REMINISCÊNCIAS.

Considero-me um ser privilegiado por ter sido testemunha de uma data memorável do Estádio Mário Filho (Maracanã).

Estava presente no jogo Brasil e Paraguai, em 1969 (eliminatórias para a Copa do Mundo de 1970), considerado o maior público de sua história numa partida de futebol, já que o show de Paul McCartney superou esse marco. Resultado da inesquecível partida?! Brasil 1 x 0, gol de Pelé.

“Pois é, meus amigos” (como diria Nélson Rodrigues), morram de inveja! Carlos teve a suprema felicidade de assistir, ao vivo (e a cores), às jogadas maravilhosas do maior astro do futebol mundial de todos os tempos.

E não foi só esse jogo, não! Acreditem, se quiserem: também tive o privilégio de assistir a Mané Garrincha, em vários jogos, fazer seus dribles desconcertantes e infernais e suas arrancadas fenomenais (passava pelos adversários como raio).

Garrincha (Manoel Francisco dos Santos) enlouqueceu Joões (era assim que os chamava, carinhosamente) e levou ao delírio multidão de torcedores.

Em momentos inesquecíveis e antológicos de minha vida fiz parte dessa multidão, sentindo o prazer único de estar ao lado dos meus ídolos, vendo-os jogar no auge de suas carreiras, na explosão do preparo físico e da técnica pessoal.

Sou um apaixonado por futebol e fui freqüentador assíduo dos Estádios do Maracanã, Morumbi e Pacaembu, pois já morei no Rio e em São Paulo.

Se você gosta de futebol e tem curiosidade de saber quem foi o nosso herói chapliniano, nos mínimos detalhes — alegres e cruéis —, leia, então, o livro de Ruy Castro: ESTRELA SOLITÁRIA, UM BRASILEIRO CHAMADO GARRINCHA.

É uma história apaixonante sobre um dos maiores craques do futebol brasileiro de todos os tempos, que teve um final de carreira, e de vida, melancólico, infeliz, humilhante e paupérrimo. Como sou muito sentimental e tenho a sensibilidade à flor da pele, confesso-lhe, leitor, sem constrangimento: nos capítulos finais do livro as lágrimas correram em profusão dos meus olhos.